FALAR...POR FALAR
... com sons e imagens... mas também silêncios, se fará esta conversa ... sempre ao sabor das palavras ...
08 de Março de 2017

A meio da tarde, começou a azáfama do embarque no paquete, a acomodação na cabine e, finalmente, a partida do cais. Devagarinho, a enorme fortaleza flutuante deslizou, deixou para trás Copenhaga e fez-se ao largo.

Durante muito tempo, enquanto houve luz, permaneci no deck superior, olhando as casinhas coloridas das margens, tirando fotos e mais fotos para recordar aquele deslizar vagaroso e sem balanços.

Hoje, o que me resta, é o que ficou nos meus olhos, porque a minha adorada câmara analógica não passou nem um milímetro de filme!

Quando anoiteceu, foi a descoberta do interior daquela fabulosa cidade flutuante: corredores e escadarias, restaurantes, lojas, bares e cinema, piscina, tudo ali cabia, naquele barco gigante de vários andares. Jantar buffet, última bebida num dos bares e regresso à cabine para o resto das cerca de 17 horas de navegação até Oslo.

Ao amanhecer, pequeno-almoço e desembarque por volta das 9 h na capital da Noruega.

 

Oslo não me conquistou. Não sei porquê, mas há cidades que cativam só de olhar, outras nem tanto.

Recordo o edifício da Câmara da cidade de tijolos escuros...

Oslo_Câmara.jpg

 

... que também revestem o edifício da Universidade

Oslo-Universidade.jpg

O palácio real, de tons claros e no meio de um parque pareceu-me bem mais agradável

Oslo-Palácio real.jpg

O extenso Frognerparken, famoso parque urbano, também chamado Parque Vigeland, povoado de inúmeras esculturas de granito e bronze da autoria do escultor norueguês Gustav Vigeland, apesar de agradável, não me tocou particularmente.

Oslo-ParqueFrogner(Vigeland).jpg

 

Gostei bem mais do Museu dos Barcos Vikings, claro e espaçoso.

Oslo1.jpg

 

Gostei bastante da visita à estância de Holmenkollen com a sua enorme pista de saltos e da deslumbrante vista, lá de cima.

Pista.jpg

Mas, o que realmente me encantou, foi a guia local: uma senhora de mais de 60 anos, pequenina, magrinha, com a pele do rosto sulcada por um emaranhado de pequenas rugazinhas, cabelo quase branco de tão loiro, olhos de um azul cristalino, que falava de modo entusiasta da sua cidade e que irradiava luz!

Sim, essa foi a sensação que tive em toda a Escandinávia: aquelas pessoas parecem irradiar luz! Parece que retiram luz ao Sol, nas poucas horas em que podem desfrutar dele, a armazenam dentro de si e depois a espalham por onde passam.

 

publicado por Til às 12:03 link do post
Playlist
posts recentes

De Copenhaga a Oslo

O tempo em Lisboa
arquivos
pesquisar neste blog
 
tags

25 de abril

alemanha conradin kreutzer viagens

alentejo solidão planície paisagem cante

ambiente

amor

annecy

ano novo

ano novo verdi la traviata libiamo

arte filme untitled pierre bourdieu

auschwitz gideon klein fotografia viagen

azulejos

barcelona m. caballé f. mercury picasso

bares

bergen hansa grieg fotografia

berlim muro de berlim viagens fotografia

bienal do mercosul porto alegre

boas festas natal

brasil

brasília niemeyer c.a. naves bossa nova

bruckner

budapeste hungria viagens

buenos aires

câmara de lisboa

carnaval portugês

castelo da lousã ermidas de nossa senhor

castelo rodrigo

castelos castelo de porto de mós

chopin

cidades

clima tropical

colónia do sacramento

concertos

copa do mundo 2014

copenhaga dietrich buxtehude fotografia

copenhaga museus arte contemporânea foto

copenhaga viagens carl nielsen

coqueiros

cozinha contemporânea viagens

crise impostos

cruzeiro

direitos dos cidadãos

e-fatura; deduções no irs

elektra's death dance

entrudo

escandinávia

estado de santa catarina brasil neve

facturas

festas

festas juninas

festivais

festival da canção 2017

florença

fluidez de trânsito

fome políticos györgy kurtag

fotografia

foz do iguaçú cataratas animais natureza

francesco de milano

gastronomia

gatos cats b. streisand a.l.weber fotogr

globos de ouro 2012 vestidos

globos de ouro da sic 2016

granada alhambra generalife fotografia

guimarães

helsínquia a.aalto arte nova fotografia

helsínquia design sibelius k.mattila fot

helsínquia t.turunen r.sirkiä la traviat

holanda grande dique within temptation v

holmenkollen

humor

imperador adriano yourcenar memórias moz

incerteza

interferência de aparelhos electrónicos

jacaré-de-papo-amarelo manguezal florian

kloster eberbach cistercienses alemanha

laguna anita garibaldi marco de tordesil

leeds h.moore corinne b.rae fotografia

leis

lisboa fotografia viagens

liubljana viagens fotografia janez biten

liubljana viagens jacobus gallus fotogra

londres fotografia academy of st. martin

lopes morgado tema de lara

lucian freud david lawson masp

luz

mainz bach fotografia viagens

mainz gutenberg telemann fotografia viag

mainz igrejas händel fotografia viagens

malbork polónia micolaj z radomia fotogr

mar

masp fotobienalmasp são paulo

medina

milão

minas gerais artesanato música sertaneja

mont saint michel

morro do careca

mosteiro de tibães barroco românico

música italiana

poluição

são luís do maranhão

viagens

todas as tags