FALAR...POR FALAR
... com sons e imagens... mas também silêncios, se fará esta conversa ... sempre ao sabor das palavras ...
26 de Outubro de 2012

Mainz (Mogúncia, em português), cidade alemã, capital da Renânia-Palatinado,  é a antiga Moguntiacum, cidade nascida a partir de um acampamento militar romano – Castrum Moguntiacum, que ali se implantou em 39 a.C.

Situa-se na margem esquerda do rio Reno, na confluência com o rio Meno.

Aliás, a presença romana ainda está muito presente na cidade e um dos seus principais museus é o Museu Romano-Germânico.

 

O grande Reno, por onde circulam grandes barcos de mercadorias, é também a via privilegiada para, em cruzeiros regulares, a partir de Mainz, percorrer a região vinhateira que se debruça sobre o rio e cujos montes são coroados por castelos e cidades medievais.

 

Vale do Reno
(Foto ETIA)

Quando recordo Mainz há imagens de duas cidades que se sobrepõem na minha memória.

Tenho dela duas visões diferentes, formadas nas minhas duas estadas na cidade e alicerçadas na minha memória geográfica.

O que é que eu quero dizer com isto?

Da primeira vez que estive nesta cidade, eu entrava nela, vinda do Campus universitário, situado a oeste e tinha que atravessar toda a cidade para chegar à sua parte antiga e ao rio.

Da última vez que ali estive, fiquei  mesmo no coração da cidade antiga, a poucos metros da catedral. 

E é espantoso como a implantação no terreno pode mudar a perspectiva de um lugar. Vivida dali, a cidade parecia diferente.

 

A última vez que estive em Mainz, era Outubro e começava a fazer frio.

Deixara Lisboa com os seus 30 e muitos graus e lá, de manhã, as temperaturas estavam apenas pouco acima dos 2 ou 3 graus.

Já sabia bem meter o nariz no lenço enrolado ao pescoço, enfiar um gorro na cabeça e calçar meias quentinhas por dentro das botas.

Depois, a pouco e pouco, o tempo aquecia, mas chovia, de vez em quando.

 

Quando saía, a rua em frente da minha porta, levava-me directamente à catedral.

Aliás, eu dormia sob a sua sombra tutelar.

 

Catedral de Mainz
(Foto do Turismo de Mainz)
 

A azáfama da cidade começa cedo, em volta desta enorme catedral românico-gótica, porque ali se continua a fazer o mercado diário.

A grande Marktplatz fica repleta de cor e de movimento.

 

 

Marktplatz

 

De facto, a catedral da invocação de São Martinho, iniciada no século XI, mas com acrescentos mais tardios, construída em pedra vermelha, é o coração da cidade.

 

 Interior da catedral

(Foto do Turismo de Mainz) 

 

 

Claustro da catedral
 

Em torno dela cresceram as ruas e as ruelas  da cidade antiga, como a Augustinerstraße (rua dos Agostinhos), antiga rua de comércio e para onde abre a Kirschgarten (Jardim das Cerejas), pequena praça com as suas casas antigas de madeiramento à vista.

 

 

Kirschgarten

 

Percorrendo devagar essas ruas antigas, surgem, espreitando por entre os edifícios, as torres das muitas igrejas da cidade...

 

Mas, isso fica para um segundo passeio pela cidade.

 

J. S. Bach, tocata e Fuga em Ré Menor

 

publicado por Til às 15:21 link do post
Playlist
posts recentes

Mainz I

O tempo em Lisboa
arquivos
pesquisar neste blog
 
tags

25 de abril

alemanha conradin kreutzer viagens

alentejo solidão planície paisagem cante

ambiente

amor

annecy

ano novo

ano novo verdi la traviata libiamo

arte filme untitled pierre bourdieu

auschwitz gideon klein fotografia viagen

azulejos

barcelona m. caballé f. mercury picasso

bares

bergen hansa grieg fotografia

berlim muro de berlim viagens fotografia

bienal do mercosul porto alegre

boas festas natal

brasil

brasília niemeyer c.a. naves bossa nova

bruckner

budapeste hungria viagens

buenos aires

câmara de lisboa

carnaval portugês

castelo da lousã ermidas de nossa senhor

castelo rodrigo

castelos castelo de porto de mós

chopin

cidades

clima tropical

colónia do sacramento

concertos

copa do mundo 2014

copenhaga dietrich buxtehude fotografia

copenhaga museus arte contemporânea foto

copenhaga viagens carl nielsen

coqueiros

cozinha contemporânea viagens

crise impostos

cruzeiro

direitos dos cidadãos

e-fatura; deduções no irs

elektra's death dance

entrudo

escandinávia

estado de santa catarina brasil neve

facturas

festas

festas juninas

festivais

festival da canção 2017

florença

fluidez de trânsito

fome políticos györgy kurtag

fotografia

foz do iguaçú cataratas animais natureza

francesco de milano

gastronomia

gatos cats b. streisand a.l.weber fotogr

globos de ouro 2012 vestidos

globos de ouro da sic 2016

granada alhambra generalife fotografia

guimarães

helsínquia a.aalto arte nova fotografia

helsínquia design sibelius k.mattila fot

helsínquia t.turunen r.sirkiä la traviat

holanda grande dique within temptation v

holmenkollen

humor

imperador adriano yourcenar memórias moz

incerteza

interferência de aparelhos electrónicos

jacaré-de-papo-amarelo manguezal florian

kloster eberbach cistercienses alemanha

laguna anita garibaldi marco de tordesil

leeds h.moore corinne b.rae fotografia

leis

lisboa fotografia viagens

liubljana viagens fotografia janez biten

liubljana viagens jacobus gallus fotogra

londres fotografia academy of st. martin

lopes morgado tema de lara

lucian freud david lawson masp

luz

mainz bach fotografia viagens

mainz gutenberg telemann fotografia viag

mainz igrejas händel fotografia viagens

malbork polónia micolaj z radomia fotogr

mar

masp fotobienalmasp são paulo

medina

milão

minas gerais artesanato música sertaneja

mont saint michel

morro do careca

mosteiro de tibães barroco românico

música italiana

poluição

são luís do maranhão

viagens

todas as tags