FALAR...POR FALAR
... com sons e imagens... mas também silêncios, se fará esta conversa ... sempre ao sabor das palavras ...
14 de Junho de 2012

Ora bem, a Dinamarca…

Os jogos do Europeu têm-me dado oportunidade de recordar alguns dos lugares por onde tenho andado e hoje vem a propósito falar de Copenhaga (até porque me lembrei de que num dos dias em que estive em Copenhaga jogou lá uma equipa de futebol portuguesa…).

 

Copenhaga é uma cidade muito simpática (ou eu a recordo assim...)

Também é verdade que tinha lá amigos que reencontrei…

Ah, e até encontrei portugueses meus conhecidos ao virar de uma esquina! O mundo é, de facto, pequeno. 

Mas, seja como for, a cidade resplandecia de Sol. Nalguns momentos até demais...

 

Naqueles países onde cada raio de Sol tem que ser aproveitado ao máximo porque os dias ensolarados são poucos e curtos, as janelas não têm persianas.  

No hotel onde fiquei, construído num edifício setecentista, com frente quer para a rua quer para o cais, o quarto onde estava instalada tinha dois pisos e a cama estava situada na mezzanine, virada para uma janela.

As janelas tinham apenas um estore de tela que impedia os olhares vindos de fora.

Poderá perguntar-se que olhares poderiam vir de fora se o quarto não estava situado no rés-do-chão.

É que no cais fronteiro atracam os grandes paquetes que fazem as ligações para outras capitais nórdicas.

 

Entre as árvores e o edifício vê-se um dos paquetes atracado no cais

 

Mas, voltando à janela: o estore não vedava, por completo, a luz do dia quando começava a amanhecer. E pelo Norte amanhece cedo.

Por isso, eu despertava sempre com os primeiros raios de sol!

 

Por outro lado, no Norte da Europa, usa-se edredon na cama mesmo de Verão.

Naquele ano, o Verão nórdico foi um verão a sério, e tive que “esventrar” todos os edredons que encontrei nos hotéis por onde passei, para não morrer de calor, isto é, retirei o edredon propriamente dito e usei apenas a capa do mesmo.

 

Para o cais se virava também o restaurante e o bar do hotel, o que era, de facto, muito agradável!

 

 Fachada do hotel virada para o mar

 

Pensando em Copenhaga (e contrariamente ao que afirmei ontem sobre Varsóvia), fecho os olhos e o “filme” flui na minha cabeça: sei que se sair do hotel pela porta que abre na Toldbodgade e, se virar à direita, irei em direcção ao Palácio Real e à Pequena Sereia; se virar, à esquerda, quase logo ao virar da esquina, estou no Nyhavn (Porto Novo), antigo porto da cidade, hoje uma zona extremamente animada com os seus restaurantes e bares instalados nas velhos edifícios seiscentistas e setecentistas, cuidadosamente restaurados, pintados de cores vivas.

 

Nyhavn
 

Aqui viveu o célebre escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, autor de belíssimos contos infantis que todos conhecemos como O Patinho Feio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Princesa e a Ervilha, entre outros.

 

Se deixar para trás o Nyhavn e continuar o passeio na direcção que tomei ao sair do hotel, em breve chegarei ao Strøget, à Câmara, ao parque do Tivoli, aos museus…

Mas esse passeio fica para depois.

Para já, a música do compositor dinamarquês Carl Nielsen:

 

Carl Nielsen, Sinfonia nº 2, 1º movimento pela Orquestra Real Dinamarquesa
publicado por Til às 11:01 link do post
Playlist
O tempo em Lisboa
arquivos
pesquisar neste blog
 
tags

25 de abril

alemanha conradin kreutzer viagens

alentejo solidão planície paisagem cante

ambiente

amor

annecy

ano novo

ano novo verdi la traviata libiamo

arte filme untitled pierre bourdieu

auschwitz gideon klein fotografia viagen

azulejos

barcelona m. caballé f. mercury picasso

bares

bergen hansa grieg fotografia

berlim muro de berlim viagens fotografia

bienal do mercosul porto alegre

boas festas natal

brasil

brasília niemeyer c.a. naves bossa nova

bruckner

budapeste hungria viagens

buenos aires

câmara de lisboa

carnaval portugês

castelo da lousã ermidas de nossa senhor

castelo rodrigo

castelos castelo de porto de mós

chopin

cidades

clima tropical

colónia do sacramento

concertos

copa do mundo 2014

copenhaga dietrich buxtehude fotografia

copenhaga museus arte contemporânea foto

copenhaga viagens carl nielsen

coqueiros

cozinha contemporânea viagens

crise impostos

cruzeiro

direitos dos cidadãos

e-fatura; deduções no irs

elektra's death dance

entrudo

escandinávia

estado de santa catarina brasil neve

facturas

festas

festas juninas

festivais

festival da canção 2017

florença

fluidez de trânsito

fome políticos györgy kurtag

fotografia

foz do iguaçú cataratas animais natureza

francesco de milano

gastronomia

gatos cats b. streisand a.l.weber fotogr

globos de ouro 2012 vestidos

globos de ouro da sic 2016

granada alhambra generalife fotografia

guimarães

helsínquia a.aalto arte nova fotografia

helsínquia design sibelius k.mattila fot

helsínquia t.turunen r.sirkiä la traviat

holanda grande dique within temptation v

holmenkollen

humor

imperador adriano yourcenar memórias moz

incerteza

interferência de aparelhos electrónicos

jacaré-de-papo-amarelo manguezal florian

kloster eberbach cistercienses alemanha

laguna anita garibaldi marco de tordesil

leeds h.moore corinne b.rae fotografia

leis

lisboa fotografia viagens

liubljana viagens fotografia janez biten

liubljana viagens jacobus gallus fotogra

londres fotografia academy of st. martin

lopes morgado tema de lara

lucian freud david lawson masp

luz

mainz bach fotografia viagens

mainz gutenberg telemann fotografia viag

mainz igrejas händel fotografia viagens

malbork polónia micolaj z radomia fotogr

mar

masp fotobienalmasp são paulo

medina

milão

minas gerais artesanato música sertaneja

mont saint michel

morro do careca

mosteiro de tibães barroco românico

música italiana

poluição

são luís do maranhão

viagens

todas as tags